esselado

o poeta é um exilado do poema
só       tem um lado dele,
aquele que crepita
sem a queima lida.

o poeta vive do transferido
pra morrer de escrito.
assassinado quando a cria avoa,
a cria ingrata, que nunca lhe povoa.

degredado a bom recanto,
mas mudo de dizer,

redizer no entanto.

Nenhum comentário:

distar III

distar III

Seguidores

Arquivo do blog